sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A vida para uns é mãe, para outros madrasta

Há quem tenha dias de cão que começam como maquilhadora de piratas, passam por motorista, geóloga, panadas de carro (de tempos a tempos há sempre quem decida investigar a traseira do meu carro. Vá-se lá perceber tal fascinio...), governanta e cozinheira, terminando em modo burro de carga saída do supermercado e de mais uma loja de máscaras (habemus Harry Potter!). Outros há que apenas têm de relaxar num banho de espuma depois de um dia de brincadeira.
Sorte? Vidas dessas são luxo!
Agora vou só ali esfregar umas costas e já venho. 

Para o próximo é que é

É o quarto Carnaval em que o Calvin tem de ir mascarado para a festa da escola. É portanto o quarto ano em que a máscara é comprada na véspera, à pressão. É o segundo ano em que o Calvin se vai mascarar de pirata.
Ao fim destes quatro anos eu já devia saber que na véspera, a única coisa que se sobra nas prateleiras das lojas são os rumberos, os polícias, os palhaços e com sorte um índio dos foleiros, tudo em tamanhos que, tendo ele mais de 2 anos, lhe tapam apenas as orelhas, mas pelos vistos ontem precisei de ser relembrada disso.
Parece-me a mim que as probabilidades de alguém ficar traumatizado com isto são gigantes e olhem que não é ele quem vai precisar de terapia, mas eu.
Para o ano começo a preparar o Carnaval no Halloween.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Shuffle mode: ON

E às vezes a música ideal surge quando pões 10 Gb a tocar aleatoriamente, sem ordem, sem preferências ou definições, apenas a tocar ao acaso, sem se procurar.


sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Eu não diria melhor...

"E, hoje, o que me falta é o abraço. O abraço que me aqueça a noite. O abraço que me transborde a alma. O abraço que adormeça o mundo e que me acorde o corpo. O abraço.

E, hoje, o que me falta são os braços. Os braços que não me soltam. Que me agarram e não me deixam cair. Os braços que me devolvem a serenidade. Que me ensinam a segurança. Os braços.

E, hoje, o que me falta são as mãos. As mãos em mim. As mãos que tão bem me sabem acordar. As mãos que melhor me sabem adormecer. As mãos irrequietas que brincam e as que, no sossego, afagam. As mãos.

E, hoje, o que me falta és tu. E as tuas mãos. E os teus braços. E o teu abraço. És tu.

E tu? Tens tudo aquilo que necessitas?"
- Rita Leston -

Lá diz o ditado que "não se pode ter tudo" e então uma pessoa vai tendo o que pode. O que consegue. O que por vezes nos dão e o que outras vezes aceitamos. Não que seja um ficar feliz com o que se tem - às vezes o que se tem não chega - mas que não seja ao menos a ansiedade e a frustração de não ter mais.
Que por vezes nos baste o que dá para ter e às vezes o que se tem, apesar de não ter sido o que mais se queria, é talvez o que precisávamos e não o que julgávamos precisar.
Podemos não ter tudo o que necessitamos, mas o que já temos, isso ninguém nos tira. E às vezes já é tanto...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Eu juro que tento

...que me esforço. Que malho no ginásio com entusiasmo e até cozinho comida saudável. Juro que deixei de atacar o salame da máquina e as bolachas do pacote, mas depois vêm pessoas das ilhas, daquelas onde há bases americanas e trazem-nos disto e queijo da ilha de São Jorge (do bom) e pronto, lá se vai o esforço e o malhar por água abaixo.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Yo no creo en brujas...mas às vezes damos por nós a ler coisas que nos fazem pensar "what if..."

"Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo… (Fernando Pessoa) Hoje é o dia! O dia em que deve tomar a decisão de começar de novo. Descruze os bracinhos, vá!"

"Uma das mais nobres consequências do amor é a de produzir a liberalidade. (Madeleine Scudéry) O amor tem a grande capacidade de, ao mesmo tempo, fazer-nos crescer e emancipar-nos. Alguma libertação pode estar para breve."

Vá Anita, tem mas é juízo e deixa-te de coisas que já tens idade para isso.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Já não me bastava a privação de sono...

...e os combates intermináveis de beyblades, hoje tinha de dar mais um tiro no pé e comprar um baralho dos invizimals! 50, CINQUENTA cartas sobre as quais estou a ser bombardeada com técnicas de defesa, poderes e ataques.
Resta-me a esperança de conseguir transformar o jogo numa espécie de sueca e convencê-lo a jogar a dinheiro.

Sonos trocados

De segunda a sexta, entre as 8h30 e as nove o diálogo matinal é basicamente "Calvin despacha-te...andamento...come...não pasteles que vamos chegar tarde...estamos muito atrasados", o qual tem sempre como resposta "mãe tenho sono...muito sonooooo".
Sábado, 7h30 da manhã e a única coisa que me ocorre é que ao pé disto, um miúdo hiperactivo a quem foi dada uma injecção de adrenalina e 1,5 kg de chocolate é uma mosca morta!

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

E é isto, sem tirar nem pôr...

Well I can't give you everything you want
But I could give you what you thought you need
A map to keep beneath your seat
You'll read to me in time I'll get you there
But fold it up so we don't find
Our way back soon nobody knows we're here

We can park the van and walk to town
Buy the cheapest bottle of wine that we could find
And talk about the road behind
How getting lost is not a waste of time
Le Bois d' amour will take us home
In the moment we will sing as the forest sleeps

And it's all for the sake of arriving with you
Well it's all for the sake of arriving with you

Well I will make the table into a bed
The candle is burning down it's time to rest
I can't take back things already gone
But I could give you promises for keep
And I would only take them back
If they become your own and you give them to me

And it's all for the sake of arriving with you
Well it's all for the sake of arriving with you

We could make this into anything
We could make this into more than words we speak
This could make us into anything
It could make us grow and become what we'll be

How will we really know?
It's just like it feels

Opção "com música" só assim para dar mais ambiente

E escrever, posso? inspira...expira... :)

O quê que eu quero para o dia dos namorados?

Que este dia seja como o Natal - todos os dias e sempre que uma pessoa quiser.
Amor todos os dias, não é pedir muito, pois não?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Quantos mais vos faltam, hum?

Ora bem, se o Homem é um animal de hábitos, se já chove há dias e dias seguidos, quantos mais dias de chuva é que precisam para aprender a conduzir sem provocar o caos no trânsito?

domingo, 9 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Caetano Veloso, vai buscar!

"Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem. .."
...mas um Hendricks cai melhor! 

Juro que esta versão da música devia ser promovida a video.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Quando se precisa mesmo muito...nunca há

Isto de andar empenhada nessa coisa que é o exercício, no corpo são em mente sã (creio que pela mente não há já muito a fazer pelo que me resta o corpo) traz a suas complicações à minha vida.
Ora que uma pessoa julga que isto de malhar forte e feio, que isto de suar em bica, pular e saltar é tudo muito bonito, tudo muito saudável e que no final das contas, vamos ficar magras, rijas e altas (o quê, não se cresce?! Pronto, cortem o altas então), mas e a fome? Sim, o que fazemos nós com a fome que nos atormenta?
Pois que me dava jeito continuar empenada para que pensar em ir ao frigorífico fosse doloroso o suficiente para não me mexer, mas nem isso. Nem uma dorzinha que seja, nem um músculo dorido, nada! Diria até que era menina para ir até lá a saltar à corda e alarvar um croissant enquanto fazia abdominais, mas se calhar o melhor é dormir, não vá cair em tentações.

Por cá também se bebe. Eu bem sei que não é Gordons...

...mas é um licor super fino, chique portanto.

A diferença entre estar à esquerda ou à direita

A diferença entre uma dondoca e uma dona de casa é zero(s). Num caso os zeros são todos de direita, no outro, mais de esquerda e podiam ser chamados de Trótski.
Vai-se a ver e até aqui é tudo uma questão de política.