quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

PQP, que é como quem diz: put@ de sorte a minha

Agora que tenho os dias de férias esmifrados, comidos, contadinhos e guardados para conseguir manter a pouca sanidade mental que me resta até ao fim do ano é que vem o Verão?
Agora que as aulas começaram, que o subsídio de férias já acabou e que já estávamos formatados paras as noites frescas e chuvosas, para as folhas amarelas e laranja a caírem das árvores, para o cheiro a castanhas na rua é que estão 30° C? Quando a cor que ganhei nas tardes, sim tardes que as manhãs estavam demasiado frescas para praiar, desapareceu é que vou voltar para a praia a parecer uma lula?
Pior, mesmo que as respostas às perguntas anteriores fossem todas sim, por muito despropositado que parecesse, diz que tem de ser um não!
É que como se já não bastasse toda a frustração que a actual conjuntura climática me provoca, as temperaturas nem sequer se dão ao luxo de se manterem assim no fim de semana!
Se isto não é um plano macabro para me levar à loucura, então eu não percebo nada disso das conspirações!

Realmente nunca se começa por aquilo que é mesmo importante

Ao que parece, os cursos básicos e fundamentais aqui na chafarica vão começar a ser dados in house que isto da malta pensar que vai andar a viajar à conta foi chão que deu uvas.
Ora, se é para começar pelo básico, pelo fundamental, pelos alicerces, eu achava por bem o primeiro ser de boas maneiras. Se é para ser, que seja bem feito, mas vai-se a ver e o que estou a preparar é sobre cálculo de volumes.
Enfim, mais um gigante gap na formação desta gente. Eu tentei...

A quem diga que a vida é injusta

Até pode ser, mas a morte também.
Há quem a morte leve cedo demais, mesmo nunca sendo tarde para ir.
É aqui que se redefine o conceito de perda, de abandono, de choque, de planos roubados, de sonhos por concretizar, de revolta, de saudade, de vazio, não por opção de alguém, mas por imposição sabe-se lá de quê.
Não deviam haver vidas assim interrompidas, filhos que ficam sem o pai, mães que ficam sem os filhos, amores que ficam sem a outra metade, amigos que ficam sem amigos...
Resta encontrar um cantinho onde caiba a saudade, que nunca cabe, transborda, e arranjar forças para continuar a andar ainda que no início nos pareça sem rumo.
Que merda de vida? Eu prefiro dizer: que merda essa morte!

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Adenda

"Podes tirar uma pessoa da Amadora, mas jamais tiras a Amadora da pessoa"

O mesmo se aplica à Damaia, à Buraca, ao Cacém, a Massamá, à Moita, a Coina... (lista em constante update)

Facto

O grau de importância das pessoas que encontras num dia é directamente proporcional ao quão mal arranjada tu estás por teres adormecido.
O dia ainda há pouco começou e eu já espero ficar-me por aqui. A ver se aquilo a que ainda chamo Murphy não passa a "azar do c@¥£₩¤↓"

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

Turn off

Imaginem que têm de ler uma infinidade de artigos, papers, relatórios, apresentações, todas elas em espanhol (atentem bem neste pormenor pois é aqui que reside o cerne da questão), onde cuenca, mini cuenca, cabalgamientos, cabalgaduras e trampa (isto já pode ser considerado dirty talking, não pode?) são palavras de ordem. A isso juntem sons que estão algures entre o gemido e o suspiro, também eles com o mesmo sotaque (sim, podem não acreditar, mas os suspiros e os gemidos têm sotaque...mesmo) que, quase ritmadamente são emitidos ao vosso lado.
Há quem possa achar isto engraçado, hilariante, até mesmo hot, pois que ele há gostos para tudo, mas a mim só me parece que estou no meio de um filme porno de muito baixo orçamento.