quinta-feira, 21 de julho de 2016

As personagens mudam, mas o medo, esse mantém-se!

Quando era criança tinha medo de monstros, fantasmas ou qualquer outra criatura que pudesse ventualmente existir e eu, na minha qualidade de humana, não conseguisse ver à vista desarmada. E eles podiam estar em todo o lado - debaixo da cama, dentro do armário, atrás de uma porta, ou pura e simplesmente ali a espreitar-nos por cima do ombro. Agora aos 35 anos, tendo eu deixado de acreditar em monstrous e fantasmas à custa de muitas noite com luzes acessas, voltei a ter a mesma sensação e acho até que o pânico é maior.
Obrigada Nintendo!


p.s- Quem sabe a quantidade de pokemons que existem aqui no escritório...

Assim num momento de reflexão,

,sentada em frente ao computador, contemplando o infinito pela janela da chafarica,, inspiro profundamente o ar que sai do ar condicionado mesmo colado às minhas costas e desejo muito, desejo com todas as forças que sustentam o meu ser que...as unhas que acabei de arranjar na hora de almoço sequem depressa para poder ir ao wc sem esmocar nenhuma!

sábado, 16 de julho de 2016

Percebes que estás velha...

...quando ao fim de uns tempos sem sair à noite, numa borga que devia ser à moda antiga, só conheces as músicas que parecem ter saído do Super Mix 5, e nem dessas gostas!
#akizombaremixnaoeparamim

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Isto tem vindo sempre a descer...

Como de já não bastassem as mais de 40 picadas de mosquitos em cada perna, daquelas que te deixam a parecer um cão pulguento e raivoso de tanto te coçares e que te fazem ver as pomadas, o gelo e os anti-histamínicos como o teu novo grupo de melhores amigos, ainda vou para o aeroporto de carroça!
Há viagens que quando chegam ao fim até parecem mentira. São poucas, mas há. Esta é, sem dúvida, uma delas.

segunda-feira, 27 de junho de 2016