sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

E eu a pensar que as minhas preces tinham sido ouvidas

Ainda que de forma tortuosa, assim à laia de castigo, juro que por momentos pensei que o Pai Natal me tinha dado, ou arranjado forma de dar, esses quilos a menos que eu tanto suplico, sim, longe vai o tempo em que eu lhe pedia ou pedinchava, agora é mesmo tipo súplica, mas não!
Qualquer pessoa normal perde peso com qualquer coisinha, seja ele trabalho a mais, desgostos de amor, quanto mais uma virose que te impeça de comer.
Pois que ando ora a chás ora em jejum desde Domingo passado, dos desgostos de amor nem vou falar, e a roupa insiste em estar apertada. Pior, nem mais magra me sinto! Parece que a única coisa que consigo é inchar. Se isto não é um feito notável, então não percebo nada disso das excepções.
Se calhar vou usar as passas do Ano Novo para pedir qualquer coisinha que me dê um empurrão nisto do perder peso, nem que seja um laxante!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Resumo do Natal

Casa quente, músicas de Natal como banda sonora, cheiro a Natal por todos os cantos, barulho e rebuliço, gargalhadas, brindes e...ai que não estão aqui as couves! Terão ficam em casa? Esquecidas no supermercado? É o que dá ter sido a senhora da caixa a meter as compras no saco...Sem duvida que a minha mãe sabe como animar as hostes numa noite de paz. Seis da tarde, enquanto a minha irmã vai a casa da mãe em busca das couves desaparecidas, o tio sai porta fora na esperança de encontrar algum sítio onde se consiga encontrar uma couvinha. Em casa fica o resto em processo de mentalização "ahahaha, lá se foram as couves...não faz mal, há couves de bruxelas, feijão verde, espinafres, afinal quem é que disse que a tradição são couves? não faz mal, há tanta coisa...".
O tio chega desolado por já estar tudo fechado e vir sem couves na mão. A mana salva a consoada por ter ficado esquecido um molho de couves na mercearia do costume, daquelas onde ainda podes bater à porta de casa do merceeiro para te safares.
A partir daí voltou-se ao tchin-tchin, ao oh oh oh, ao rockin' around the Christmas tree, aos WAU's da chinesa que passou o seu primeiro Natal connosco (já nem sabemos o que é um Natal sem um estrangeiro a passar as festas com a nossa família), à comezaina, à troca de presentes que cada vez mais são a verdadeira comédia e a piada da noite foi, sem dúvida, as couves do Adelino...





  
Por acaso mencionei que desde Domingo andei com uma virose que não me deixava comer? Ah, não...pois que andei por isso a parte da comezaina só se vai aplicar a  mim hoje! E sim, também sei que restos não são uma alimentação saudável, mas é o que se pode arranjar!
Ao menos sou diferente. Devo ser a única pessoa que não anda para aí a dizer que engordou horrores este Natal. Always looking at the bright side of life!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Se há coisa que inspira os outros é a desgraça alheia

Depois de uma maratona de compras vou buscar o Calvin a casa da avó onde me queixo de, logo no primeiro dia de férias estar cansada.

Calvin: Mãe, eu conduzo o carro para casa para tu descansares.
Eu: Ahahahahaha, exacto filho, é isso mesmo...
Avó: Então? se calhar não o arranhava na garagem como tu.

E isto só porque este fim de semana o muro da da minha garagem decidiu desviar-se e meter-se à frente do meu carro...mais uma vez.

Today's Mood #81

Estar de férias de Natal e só voltar à chafarica em Janeiro, faz-me sentir uma ganapa de escola!
Yeeeehhhhhhh!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Office Ace of Cakes - Christmas competition

Até podem haver equipas muito boas, muito profissionais, mas tão natalícia e prendada como como a minha acho difícil!
Merry Christmas a quem não vai ter um dia tão doce como o meu! :) 

Today's Mood #80

É o que dá quando ficar em casa não é opção...

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Será que agora sou tia?

A minha mãe liga-me, assim numa espécie de euforia histérica, para me dizer que a nossa família tem um novo membro e que vem outro, já, já a caminho.
Pois não é que a ovelha lá da quinta pariu um memé? Ao que parece, tal como muito boa gente, as ovelhas também não podem ver nada que querem ter igual e vai daí, a outra ovelha também está de esperanças, quase a parir.
A questão aqui é que não sei se isto faz do meu tio, dono das ovelhas, avô e da minha mãe tia-avó, se faz de mim tia em segundo grau ou se, aproveitando a quadra e o facto de termos um rebanho de ovelhas, deito o Calvin numa manjedoura cheia de palha e fazemos um presépio humano.
Querem apostar em como eu ainda conseguia com que a próxima festa da TVI fosse no Cartaxo e ainda aparecíamos todos na tv?

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Mito urbano...

...é isso de dizerem que em Londres só chove.
Para mim esta semana houve blue sky. Afinal férias são férias!

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Então vamos lá começar...parte II

Pois que este ano a árvore vai ser feita às prestações. Podia dizer que é a crise ou que é a constipação com que estou que me impedem de a fazer de uma assentada, mas não. A culpa de hoje não ficar com uma árvore de Natal feita é dos chineses e da neve que eles vendem. Não é que a tal neve seja má ou de qualidade duvidosa. Ela é tão boa e tão real que, tal como a verdadeira, derrete.
E depois venham cá dizer que está frio e o diabo...balelas!

Então vamos lá começar...

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Já que é para pedir...

Andaram a perguntar-me o que queria eu para os meus anos. Ora bem, a paz no mundo, uns botins pretos e dourados (rasos, que isto uma pessoa já não vai para nova e gosta é de conforto), o fim da fome em África, umas férias num destino à minha escolha, umas Ugg cor de rosa (se viessem as cinzentas também não ficava triste), umas B&O 8002, o anel da CK que ando a namorar, um molho com, no mínimo, 33 balões lisos e coloridos cheios com hélio e vá, se pudesse ser, o euromilhões para comprar tudo aquilo que eventualmente não me dessem nos anos, era tudo muito bem recebido por mim no meu dia.
Acontece que depois achamos que aos 33 já devíamos ter um gosto mais requintado, ser mais sofisticadas e que os presentes deviam reflectir isso e serem consentâneos com essa nossa condição e status.
Assim sendo, se ainda estão indecisos sobre o que me podem ofertar no meu dia de anos,  aqui fica a sugestão

Nota: para ser mesmo em condições é favor servir ambos na cama.
Muito agradecida.

sábado, 23 de novembro de 2013

6? Já?!

Faz hoje seis anos que dormi a minha última noite na qualidade de Anita só Anita. No máximo Anita, filha de...
Nessa altura queixava-me eu que a minha barriga de 9 meses já não me deixava dormir bem, pelo menos, há 6 e desejava que ela se esfumasse para poder ter outra vez uma noite de sono como devia ser. Ahhh, quando deixares de ter essa barriga nunca mais vais ter uma noite descansada na vida - dizia a minha mãe - mesmo quando estão bem, os filhos são uma preocupação para a vida!
Hoje continuo a ser a Anita, mas já não sou só Anita, nem só Anita filha ou irmã de..., muito menos sou Anita só... ganhei também o título de Mãe e às vezes é esse o único nome que tenho - Mãe do...de ti!
E apesar disso de nunca mais haver uma noite descansada ser a mais pura verdade, continuo a trocar as noites que tinha descansada por aquelas que tenho ao teu lado.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O CR7 até pode ser o comandante

...mas eu sou mais brigadeiros.
É tudo uma questão de patentes

Oh happy day!

Eu sabia que o glorioso dia havia de chegar. Tardou, é certo, mas há quem diga que o que tarda é ainda melhor por isso estou contente na mesma. Melhor foi certamente, mas acho que não foi O melhor e que ainda há espaço para melhorar. Bom, mas como estava a dizer, o dia em que o meu filho ia apreciar os meus dotes culinários, o dia em que o meu filho ia apelidar o meu jantar com palavras tais como "o melhor do mundo" e "o meu favorito" aconteceu e foi HOJE!
O que cozinhei eu capaz de arrancar semelhantes elogios ao catraio e destronar o pai dele do título de Rei do Tacho? Nada mais, nada menos do que uma fantástica, maravilhosa e apetitosa lasanha do Pingo Doce.
Avillez, Chef Silva, Olivier e companhia: vão buscar! Afinal quem é que domina isso da arte de programar o forno, quem é?

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Por falar em más campanhas publicitárias...

Os RP's do Lust não quiseram ficar atrás dos senhores da Pepsi e acharam que isto de ter más ideias e dar tiros nos pés é que é. Vai daí que tiveram uma ideia também ela genial para publicitarem as suas festas de arromba. Não, não usaram o CR7, nem o IKEA. Escolheram antes algo que, bem vistas as coisas, também está ligado ao mundo do futebol: "meninas".
Vivendo nós num tempo em que o conceito de simplex é palavra de ordem, porque não facilitar também isso do processo de engate nocturno?
É que isto do engate é coisa para dar muito trabalho, é uma grande canseira e já lá vai o tempo em as trocas de olhares, o mexer nos cabelos, os sorrisos subtis eram considerados trunfos. Agora a malta é moderna e não tem tempo a perder pelo que nada melhor do que o velho e conhecido código "verde - amarelo-vermelho" para facilitar a coisa.
Agora acho que os senhores do Lust esqueceram-se de contemplar uma cor importantíssima: o preto.
Vamos então assumir que as meninas que se vestirem de preto são viúvas. Ora, andandando elas em rambóias destas estirpe, haverá lá coisa melhor do que apanhar uma viúva alegre?
Senhores do Lust, a ideia dos Minions, apesar deles estarem na berra, foi má, mas pronto, à primeira todos caem. A ideia de afogar o ganso também foi triste (por favor não tentem a do "ajoelhou vai ter de rezar" que é pior ainda) e à segunda já não têm desculpas. Agora esta? Oh minha gente, à terceira só cai quem quer...ou é mesmo parvo!

Já agora, se mal pergunto, os shots de tequilla que vão oferecer são servidos em copos ou são daqueles, também eles modernos, embebidos em algodão?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Não querendo distrair-vos disso do Cristiano Ronaldo ser o maior, de nunca mais beberem Pepsi...

..., de estarmos todos a caminho do Brasiu e de como agora já não vão comprar mobília ao IKEA e genial,  genial é a Moviflor, o Passos Coelho veio fazer-me uma visita.
Querem que lhe dê algum recado?

sábado, 16 de novembro de 2013

Trinta e três, diga lá outra vez

E eu como sou bem mandada digo: trinta e três.
E agora pergunto eu - o que é que se faz com esses anos todos? Muda-se tudo por completo? Fica-se na mesma pois, assim como assim, mais vale a m#rd@ que temos que já lhe conhecemos o cheiro? Começa-se a pintar o cabelo? Investe-se em botox? Ou continua-se a levar a coisa para a frente como até agora, sem lhes ligar muita importância passando-se, em dias bons, por uns quantos a menos?
Sendo esta a idade que dizem "ser de Cristo" o melhor é fazer tudo menos jogar pedras na cruz já que, aparentemente, devo ter salgado a Santa Ceia.
Daqui a uns dias vou certamente descobrir a resposta. Até lá vou só digerindo a coisa.

Palavras para quê?

Podia pôr-me aqui a dizer o quanto o meu dia foi surreal, inacreditável mesmo. Podia dizer que as pessoas andam maradas, que não há quem as compreenda e que farta de gente parva e incompetente estou eu. Podia dizer que anda tudo louco, que é tudo uma cambada de Joselitos sem noção, que quanto mais tento perceber os outros menos os percebo e quanto mais acho que tenho tudo sob controlo, mais descomandadas andam as coisas. Podia dizer que vou levantar a cabeça, empinar o nariz e que para a frente é que é caminho, mas a verdade é que ando marreca de tanto tempo que passo de rabo para o ar a apanhar o queixo que insiste em me cair tal é o espanto.
Podia dizer que bom, bom era chegar ao pé das pessoas e dizer tudo como os malucos, não ficar com nada entalado, escarrapachar-lhes com tudo na cara de tal forma a que não houvessem dúvidas nem perguntas por responder.
Depois penso que se calhar é só um dia mau e que dias maus passam, que amanhã é um dia novo, que tudo se compõe e que a noite pode ser ainda melhor. Da surrealidade não me livro, já percebi isso, mas se desse para me livrar da marreca e para manter o queixo no sítio sem cair já era tão bom...

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Os bilhetes para o Bruno Mars...

...deviam dar para comprar por partes, às músicas.
Eu comprava uma, duas no máximo. Aparecia lá, cantava um "oh yeah, yeah...", dizia que gostava de ser bilionária enquanto bebia uma jola, deixava o resto do mulherio a chorar baba e ranho com o resto das músicas mimimi e ia dançar para outro lado. E ficávamos todos felizes e contentes...

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Se há coisa que faço muito bem é ir do 8 ao 80 enquanto o diabo esfrega um olho

Se sexta-feira à noite mal disse a minha vida por ter resolvido ir beber um copo e ter passado o tempo todo a tropeçar em miúdas de 15 anos (mas com corpinho de 20 e cabeça de 10) e putos de 20 anos, no Sábado, enquanto dançava e saltava ao som dos DGang, tropecei numa bengala.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Outra vez a Margarida Rebelo Pinto? Qual é o espanto?

Antigamente nas escolas, quando as crianças se portavam mal, escreviam uma página inteira a dizer eu não volto a... para aprenderem. A MRP, mesmo depois de escrever 19 livros, claramente não aprendeu nada, nem a escrever.
Ora se ela não sabe sequer escrever um livro ao estilo da Sabrina e da Bianca, é assim tão espantoso que as suas críticas e opiniões sobre economia e política sejam também elas más?
Se ela dissesse alguma coisa de jeito é que eu me espantava.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Deve ter sido assim que surgiram muitos dos fashion blogues que para aí andam

Imaginem uma sopeira a atirar para o gótica que, em querendo parecer mais compostinha, roça a vendedora porta-a-porta de bíblias satânicas.
Agora imaginem uma saloia que insiste em chamar vintage ao velho e roupa com estilo aos trapos.
É mau, dirão vocês. Tão mau que dificilmente piora.
Pois que a vida ensinou-me que,  por muito baixo que estejamos,  há sempre mais um degrau até ao fundo do poço e vai daí que a sopeira soltou a fashionista que dentro dela sobrevive e toca de dar conselhos de bom gosto à saloia.
Foi nessa altura que percebi que tínhamos saltado do domínio do dantesco para aterrarmos de cabeça e aos trambolhões no ridículo.
Por momentos achei que aquilo ainda podia dar para rir, mas não...

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Isto de definir prioridades também deve ser genético

Que as minhas prioridades fossem, por vezes, consideradas pelos outros como algo estranho já não me espanta. Espanta-me sim não perceberem , perante a possibilidade de se ter partido um pé e de poder-se sair do hospital com uma bota de cano alto de gesso, a necessidade de nos certificarmos que a depilação estava bem feita para que, quando o gesso nos fosse retirado, não parecessemos um urso coxo.
Hoje percebi que não estou sozinha nesse estranho mundo da prioritização e que se a minha prioridade dos últimos 2 dias foi organizar a viagem a Londres que prometi ao Calvin como prenda de anos, a dele é...dormir. Pois que andou uma pessoa a fussar na internet tudo o que era site de viagem, tudo o que era motor de busca de voos, andou uma pessoa a comparar horários, companhias aéreas, a pesquisar hotéis, a estudar todas a opções possíveis para que a sua estreia em terras de Sua Majestade seja "kind of fantastic, dear", para ouvir um: "O voo é tão cedo? A que horas vou ter eu de acordar? ...Nunca acordei tão cedo na minha vida!"
Ainda nem sequer lá pôs um pé e já tudo à Lorde. Quando voltar, menos que uma vénia é nada!

Enigmas

Tudo agora é viral. Qualquer post no FB consegue ser mais viral do que uma gripe e a prova é que se vê mais gente a postar coisas estúpidas do que de cama engripados.
A virose da semana é o enigma da girafa. Quem acerta fica como está,  quem não acerta usa como foto de perfil uma girafa (sinceramente nem sei, em muitos casos, qual das opções é pior).
Olhem que estive quase, quase a agradecer à alma que inventou isso da girafa porque a cara de pato (também ela um enigma pois ninguém percebe que porra de cara é aquela e completamente viral) já era quase castigo, mas agora, entre duck faces, giraffe faces e as "look at the kid version of me" faces, a coisa já roça o freak show facebookiano.
Se querem inovar e visto já não se pode dizer que cara, cada um tem a sua pois agora é tudo igual, inspirem-se antes nisso do rabo ser como as opiniões e cada um ter o seu para terem a foto de perfil que falta - a ass face. Assim como assim já não se anda muito longe do conceito...

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Se o governo não quer mais do que 2 cães e 4 gatos por apartamento. ..

...quantos serão os animais permitidos num só escritório?  É que pode não parecer,  mas por norma,  os do escritório são de maior porte.
Noé viveu em tempos fáceis (dizer que ele viveu no tempo das vacas gordas é capaz de soar um bocado mal este contexto). Naquela altura foi encher a arca à bruta, sem restrições de número, tamanho ou peso. Bons tempos, dirão alguns.

domingo, 27 de outubro de 2013

Gone!

 
E agora já não há querer ou não querer. Foram-se, literalmente, cano abaixo! Podia tecer aqui uma elaborada teoria sobre o porquê de as guardarmos, sobre o porquê de as lermos e voltarmos a ler vezes sem conta, mas vou apenas ver este down the drain como um reset, como uma limpeza há muito necessária, mas que insistimos em não a fazer.
Mais do que um telemóvel novo, isto é pôr os contadores a zeros! 3, 2, 1...ready, set, go!

sábado, 26 de outubro de 2013

Se hoje muda a hora e se às 2h volta a ser 1h...

...eu posso ver isso um bocado como "andar para trás no tempo", certo? (podem pôr a música "oh tempo volta para trás" para dar mais ambiente)
Assim sendo, todos aqueles que chegarem às 2h da manhã e acharem que podiam ter feito alguma coisa que não fizeram, aproveitem bem e façam. Se tiverem (muita) sorte, pode ser que não seja tarde demais.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Quando é que uma reunião com o administrador te parece uma brincadeira de crianças?

Quando sais de lá directa para outra reunião...de pais!
É mais fácil convencer um americano e um escocês fechada numa sala lá no alto de uma torre do que estar fechada com 20 pais e uma professora numa sala com mesas de crianças e desenhos nas paredes e entender alguns deles.

Vá lá, digam-me que não é isso!

Tenho os gémeos a doer!
Enquanto andava a fazer exercício todos os dias eles não se queixavam. É agora que não mexo uma palha desde Sábado (nem me vou debruçar sobre essa maldita preguiça, falta de vontade, diria mesmo inércia que se abatem sobre mim) que eles se vão armar em mariquinhas?
Vou pensar que o meu corpo tem alguma espécie de delay no que a músculos enferrujados diz respeito para justificar isto. Recuso-me a acreditar que isto seja qualquer tipo de ressaca e que seja ele a implorar, aos gritos "vá lá, não desistas agora, minha mandriona!"

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Lavagens

Há lavagens a seco, cerebrais, ao estômago, à alma, de roupa suja e de roupa branca, de dinheiro, de dentes e até aos olhos, mas eu cá sou tão, mas tão à frente que prefiro antes lavagens ao telemóvel...na água da sanita.
Há quem veja esta minha espetacularidade como um sinal divino para me libertar da dependência tecnológica. Eu própria pensei poder tratar-se de uma mensagem do universo a dizer que emigrar para o Mato Grosso era uma hipótese a ser a ser considerada, mas na verdade, acho que é só sinal de que vou gastar dinheiro num telemóvel novo.

É tudo farinha do mesmo saco

Há quem ao Domingo vista a sua melhor roupa para ir à missa.
Há quem, pela altura da Páscoa, vista a sua melhor farpela para ir ao Padrinho receber "as amêndoas", sendo que estes pertencem também ao clube dos Domingos.
Depois há os que, mesmo gozando com os dois anteriores, fazem o mesmo, não em dia de missa, não em dia de receber amêndoas, mas em dia de falar com o big boss.
Qualquer um deles me faz muita confusão, mas só a última estirpe é que me faz mesmo uma espécie dos diabos.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Se eu fosse a Filipa Vacondeus estava tudo bem

...mas não sou.
A Filipa Vacondeus é conhecida por fazer um belo manjar, um fabuloso repasto digno de qualquer banquete real, com raspas, se for só isso que têm. Ela era capaz de pegar nos restos do frigorífico, mesmo os que já tinham três quinze dias e bolor, e sair-se com uma refeição gourmet.
Pois que o meu jeito para a cozinha e dotes culinários não são suficientes para me tornar sequer  participante numa espécie de Masterchef da tasca, nem mesmo se à disposição tivesse os melhores ingredientes.
Posto isto, como é que alguém ainda espera que eu, criatura que nem para cozinheira na messe de um exército em guerra servia, faça uma omelete sem ovos? Piora um pouco se essa omelete fosse para ser servida ao Major do exército adversário, a fim de lhe acalmar os ânimos e arrancar-lhe umas tréguas.
Estão a ter uma ideia do cenário? Ainda bem porque eu cá não...

Isto do "menos que tudo é nada" pode soar tão, tão bem

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Adenda ao post anterior

Afinal não sou (só) maluca. Sou também um bocado trapalhona, algo surda e muito parva!
Não admira que não encontrasse a música. Afinal ele não ficava emotional, mas sentimental.
Com tanta sugestão de m**** que o Google faz, com tanta pesquisa que mesmo não tendo nada a ver vai parar ao sítio certo, só a mim é que me havia de aparecer tudo menos o Nat King Cole.
Ao menos fiquei a saber que tenho amigas de extrema eficiência e que, ao menos hoje, não tinha uma charanga imaginária a tocar na minha cabeça.

Eu ouvi, juro que ouvi!

Estava eu no carro a caminho de casa quando aquela voz radiofónica disse que tinha uma música para "me" apresentar. Como boa ouvinte que sou, preparei o meu melhor sorriso e aclarei a voz para a tal apresentação. Sim, eu aclaro sempre a voz pois tenho sempre esperança que, em gostando da.música, ela me entre na cabeça e dê para cantar um ou outro refrão. E deu! Ouvi, gostei e cantei, tanto que, logo no telemóvel, comecei a pesquisar pela dita. Não deu. Resolvi então voltar à carga quando chegasse e casa. Pois que não encontrei. Nem no google, nem no youtube, nem no site da rádio onde há até um separador onde se podem ver as músicas que tocaram. Nada, nothing, niente! Desapareceu sem deixar rasto.
Pessoas, eu não estou (assim tão) maluca que já oiça, não vozes, mas músicas inteiras, na minha cabeça.
Se por algum acaso, entre as 18h20 e as 18h30 alguém esteve a ouvir a Smooth Fm e ouviu "I get emotional over nothing", ou mesmo que não tenha ouvido, mas conheça a música, por favor ponha a mão no ar.
Se por obra do destino a música não existe sendo só um produto da minha maluquice e alucinação, damn I'm good!

domingo, 20 de outubro de 2013

Até agora tudo bem, mas mais vale prevenir...

Há mais ou menos 1 ano atrás, estando eu num dia de neura, resolvi passar por uma das minhas lojas favoritas para comprar um trapo a ver se me animava.
Realmente comprei o trapo e nele depositei todas as esperanças de um dia, ao som daquilo que parecia ser o meu novo mantra: "The dog days are over".
Na realidade o trapo que comprei não trouxe tudo aquilo que eu esperava, mas à conta dele, os dias de cão não acabaram, apenas tinham começado e, ironia das ironias, ao som dessa mesma música.
Ao que parece a vida tem muita dificuldade em ensinar-me coisas e eu também pareço ter muitas dificuldades em aprender pelo que hoje, num dia também de neura, resolvo voltar a essa loja, não para comprar um trapo, mas para cometer uma verdadeira loucura. Se um não resultou no passado, pode se que se comprar mais uns quantos a coisa se componha.
Agora, só para prevenir e não acabar no mesmo estado do ano passado, musiquinha só sentada.

Today's Mood #78

 

E isso nem sempre é fácil. Parece que dentro de nós há sempre escondida uma criança mimada que teima porque teima que era mesmo aquilo que queria e, como a qualquer criança mimada e obstinada com alguma coisa, nem vale a pena tentar convencê-la do contrário. Depois fica-se ali a bater o pé, a fazer beicinho, assim quase a roçar a birra por não se ter o que se quer, mesmo quando nem sabemos se realmente o queremos ou não.
E se uma criança mimada já é difícil de convencer, um adulto a encarnar essa personagem irritante consegue ser muito pior. É que ao mimo e estupidez de uma criança junta-se a mania de que, sendo-se já adulto, se sabe tudo, inclusivamente o que se pode ou não querer o que, aliado a algum poder de argumentação, mais vezes para nós próprios do que para os outros, nos dá a ideia de que não podíamos estar mais certos e que os outros é que não estão a compreender bem a situação. É assim uma espécie de "nós contra o mundo".
Eu diria que umas palmadas bem dadas no rabo eram capaz de resolver a situação, mas na verdade, era capaz de tornar a coisa ainda melhor.

sábado, 19 de outubro de 2013

É (quase) a mesma coisa

Já que pelos vistos a blogosfera inteira, ou vá, só uma parte, na verdade foi mais uma minoria, mas ok, aderiu à moda que a Mais Doce lançou nisso de arranjar sucedâneos baratuxos dos mais profundos desejos da sociedade de consumo, eu achei que não devia ficar para trás.
Na verdade este tipo de posts também podia ser classificado nisso do "ser quase a mesma coisa" uma vez que também eles não são originais, mas pegando eu em arte em vez de moda, pode ser que pareça menos mal.
 
Manneken Pis - Pequena estátua de 30 cm em bronze considerada como um símbolo e monumento de Bruxelas, Bélgica
Original de Jerôme Duquesnoy

Chinnoken Pis - Bibelot com 30 cm em porcelana chinesa.
Original de Loja dos Chineses nas Olaias 
(se isto fosse sobre moda juro que tamb´m escrevia "comércio local", mas como não é...)

Para quê ir à Bélgica tirar fotos quando se pode ter um (quase) igual em cima de um naperon?

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Today's Mood #77

 
E é nisto, e só nisto, que me sinto mais próxima do povo aqui da chafarica.
Haviamos de ter alguma coisa em comum, não é?