terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Vaga de frio em Portugal digna de todos os jornais e telejornais?

Diz-me a minha memória de elefante que,  no longínquo ano de 2014, faz hoje precisamente 3 anos, era capaz de estar mais frescote e Lisboa passou a manhã vestida de branco. Bom, mas isso sou eu que já ando nesta vida há muitos, muitos anos e insisto nisso de relembrar coisas do passado. Uma saudosista, é o que eu sou.
#osnossosjornalistassãoummimo #istoagorasãosóboasnotícias

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Vegans, Vegetas, verdurianos, fundamentalistas das couves

A sério que já não há paciência para esta nova classe de verdes e defensores da natureza.
Para mim está tudo ao nível das Testemunhas de Jeová que, como se serem detentores de parca inteligência não lhes bastasse para acreditarem em qualquer balela que lhes queiram vender (até ai tudo bem pois cada um sabe de si e é livre de fazer o que bem entende) ainda têm que tentar evangelizer os outros e bombardeá-los com teorias da conspiração mal engendradas, com pouco ou mesmo nenhum valor ou fundamento cientifico, fazendo corar as pedras da calçada e os Darwin desta vida rebolar lá no caixão.
Quase todos os dias sou bombardeada com frases e teorias vindas de páginas patrocinadas por estas redes sociais fora, onde o conhecimento é nulo e os rebeldes sem causa podem expresser as suas frustrações em todo os seu esplendor.
Não querem comer carne? Bom para vocês. Não querem beber leite, não querem comer ovos nem usar qualquer tipo de pele (pele é diferente de pêlo, ok?). Óptimo! Bom proveito, mas não chateiem quem o faz.
Desenganem-se se acham que vão salvar o planeta e a espécie por não comerem um bom bife com ovo a cavalo porque, lamento disiludir-vos, não vão.
Em vez de fazerem pesquisas (ainda por cima mal feitas) sobre as práticas ambientais de certas empresas com o intuito de as boicotarem, dediquem-se antes a pesquisar a sério sobre o impacto ambiental que vocês têm e o que é ser verdadeiramente sustentável.
Podia falar-vos aqui das plantações de soja que vocês tanto gostam, da produção massiva e respectivos impactos ou - e aqui é que a porca torcia o rabo - nisso de serem contra o uso de peles, mas fibras sintéticas provenientes do petróleo ser sempre a andar. Podia falar-vos também sobre o equilibrio de sistemas, esse conceito tão abstracto para vocês, mas não. Prefiro depositar a minha fé toda no Darwin e acreditar piamente que a selecção natural fará o seu papel e que daqui a uns anos estaremos todos no FB a fazer R.I.P. aos fundamentalistas da couve e da batata. Mas isto sou eu, que por acaso até estudei e trabalho em ciência, o que deve fazer de mim uma profunda ignorante quando comparada com vocês, clã iluminado. Vivesse eu numa tenda (biodegradável, claro), acampada numa praia naturista a dançar o Kumbaya e saberia, certamente, mais sobre o assunto!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Anita também faz publicidade aos tão afamados robôs de cozinha

São uma maravilha! Confirmo, e ai de quem me desminta, que isto veio facilitar a minha vida de sopeira.
Tenho o meu há 2 anos e não quero outra coisa. Ele é sopa, ele é bechamel, ele é todo um sem fim de papas que eu jamais faria sem uma panela e sem uma varinha mágica! Estou deslumbrada em especial com a capacidade do copo. Dá para fazer sopa para uma família assim num zás trás. Com jeito fazia sopa para um batalhão só de uma assentada.
E a limpeza, perguntam vocês? Pois que não há nada mais simples que andar a tirar restos de couves enroladas nas pás. Se for um caldo verde então, até podem deixar essa tarefa para um bebé.
Como é que alguém pode viver sem isto?
Pessoal das marcas, podem chegar-se à frente pois como já viram valho todos os cêntimos que me pagarem para fazer publicidade de produtos daqueles que são mesmo bons, tipo banha da cobra!
#sóquenão #parabatedeiraéumapechincha #foidadocomboaintenção #jávivarinhasmágicaspiores

Assim de repente, só olhando pela janela...

...diria que acabei de estacionar nas Caraíbas. Depois olhei para o termómetro e aterrei com os costados na Sibéria!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Há quem engorde por culpa das festividades, já eu...

...miraculosamente chego ao fim das festas a sentir-me mais magra. Depois vêm 2 dias a comer castanhas como se não houvesse amanhã e logo aparece gente a dar-te os parabéns, não por fazeres anos, mas por acharem que estás de esperanças.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Palavra sabedoria não te diz nada, pois não Anita?

Pois claro que não diz. Se dissesse, ao fim de 36 experiências de Natais que já levo na vida, depois trezenta e cinquenta e nove mil promessas de que ia ser diferente no ano seguinte, depois de olheiras causadas por madrugadas a fazer embrulhos e decorações várias e algumas bolhas nos pés fruto de calcorrear km's em busca do presente ideal, já devia ter aprendido qualquer coisa.
Este ano, a 3 dias do Natal, com 4 horas de sono em cima, ainda com 2 presents para comprar (sendo que os restantes foram comprados...errrr...ontem!) e com mais um dia de trabalho amanhã que este ano as férias despareceram sem deixar rasto ali no início de Stembro, resolvo apimentar a coisa dando um jantar em casa para 12 pessoas.
Se isto não é uma boa gestão do tempo, então não percebo nada disso das agendas e de organização