quinta-feira, 27 de abril de 2017

Um dia, oh um dia...

Um dia vou acordar e não me vou idignar com a estupidez alheia nem entrar em discussões com essas mesmas pessoas.
Um dia não vou achar estranho que se prezem mais os animais do que as pessoas, mesmo aquelas que nem são de se cheirar. Um dia vou ver por essa internet fora tantas petições a zelar por criancinhas e velhos como vejo para adoptar animais. Um dia acordo e não há gente mais preocupada com um cão que atacou uma criança do que com a criança que está no hospital por ter sido atacada por um cão. Um dia vou estar rodeada de gente que se preocupa mais com as desigualdades sociais, num país de futebol, onde as "grandes causas" se resumem a touradas e bichos abandonados, do que com não comer carne ou fazer prospecção de petróleo no Alentejo. Um dia vou acordar num país civilizado onde não morram crianças com sarampo porque uns acéfalos decidiram que isto da ciência e da medicina não é mais do que uma cabala para nos extorquir dinheiro, pejar-nos de doenças e fazer testes bioquímicos em humanos.
Um dia vou acordar e ver que não, que as coisas são como são, que as pessoas estão estupidificadas por teorias da conspiração proliferadas pelas redes sociais, que as pessoas humanizam animais em detrimento de outros humanos e que o Paços Coelho continua a ter quem vote nele. Restam-me os dias em que acordo e me levanto com a sensação que estou a fazer a minha parte e isso, parecendo que não, já não é nada mau.

2 comentários:

  1. Não concordo nada contigo porque lutar pelos animais não invalida que se lute também pelas pessoas. Eu sou das que assina petições, que adopta animais, que luta por estes... mas isso não significa que não faça o mesmo pelas pessoas. Apenas dou voz aos que não têm voz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S*, se houvesse alguém para discordar do que escrevi, esse alguém serias tu :)
      Naturalmente que lutar pelos direitos dos animais não invalida que se lute pelos das pessoas. Eu também não concordo com maus tratos aos bichos nem os considero pouco dignos de qualquer luta pelos seus direitos. A verdade é que cada vez mais assisto a uma indignação generalizada por essas redes sociais fora no que diz respeito aos bichos que jamais assisti para pessoas. Já vi pessoas a serem linchadas em praça pública por causa de histórias mal contadas (caso da figura pública cujo cão morreu, na minha opinião mais por culpa da dona do que por culpa da veterinária). No caso específico de ataques de cães, vejo todos com muita pena do bicho, mas não vejo indignação alguma pela criança atacada e pior, já li afirmações que os cães não atacam do nada e que as crianças é que os chateiam. Vejo gente que acha normal levar cães para a praia em época balnear achando que todos os outros têm de aceitar isso sem respingar pois, tal como todas as pessoas, também os cães têm direito a férias na praia. Podia falar nos passeios destas cidades ou dos pilares que por exemplo ladeiam a entrada da minha garagem que são verdadeiros wc's para 4 patas. Enfim, a falta de civismo abunda por aí e enerva-me solenemente quem acha que pessoas e animais estão todos ao mesmo nível.
      Não confundamos direitos dos animais com a humanização dos mesmos e pior, não valorizemos uns em detrimento de outros. Por muito coitado que um cão possa ser ou por mais isento de culpa que ele esteja, vai-me sempre importar mais uma criança atacada do que o animal que a atacou :)

      Eliminar